Relatório sobre Soberania – Maio/2019

Fatos Relevantes:

O mês de maio seguiu com o terrorismo da agenda “reformista” de destruição do Estado e do direito da população, em especial com o andamento sobre a reforma ou o fim da Previdência, assim como com a falta de planejamento do atual governo.

Nota-se completa desarmonia e confusão dos Ministros com o Presidente, e com o congresso uma verdadeira torre de babel.

Entretanto o ataque a Soberania Nacional continua, em carta aberta a população quatro presidentes de honra da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência denunciaram que as atuais diretrizes do Governo para a Ciência e Tecnologia comprometem gravemente o desenvolvimento nacional, o bem público, o progresso e a defesa da Soberania Nacional.

Assina a carta os Senhores, Ennio Candotti, Otavio Guilherme Velho, Sergio Machado Rezende, Sergio Mascarenhas todos presidentes de honra da SBPC. (ver aqui)

Outro fato relevante do Governo é sua continua preparação para as selvagens privatizações tanto dos setores Petrolíferos, quanto de estatais como os correios.

Estudos de técnicos analisam já a privatização da BR distribuidora, como também o próprio presidente avaliza a preparação para a privatização dos Correios.

Outro fato gravíssimo e o corte de receitas denominada por contingenciamento nas Universidades, um crime de lesa pátria, contra essas instituições e o mundo acadêmico.

Já Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional foi divulgada uma nota juntamente com a Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados Argentinos, apelando aos militares para se unirem há oposição ao governo Maduro. (ver aqui)

Ação ou Omissão Governamental:

A ação governamental no mês de maio, referentes à Soberania Nacional ressume-se no avanço de diretores das empresas estatais visando sua privatização.

Como prioritários para o governo tanto setores fundamentais da Petrobras, e o próprio Correio, seguem nessa rota.

Outra ação efetiva do governo é o corte, denominado de contingenciamento, contra as Universidades, numa verdadeira chantagem para a Reforma da Previdência.

Nota-se que o Ministro Abraham Weintraub é mais ideológico, do ponto de vista do radicalismo fundamentalista, que permeia o Governo de ultra-direita de Bolsonaro do que o anterior Ministro Ricardo Vélez Rodriguez.

A cruzada de desmonte na educação é seu adestramento são demonstrados a cada dia, assim como o ataque a autonomia universitária.

Entretanto efetivou-se a entrega da Embraer para a Boeing, inclusive com a mudança de nome, agora chama-se Boeing Brasil- Commercial.

Fato esse que não calcula o imenso prejuízo em nosso desenvolvimento tecnológico, como um ataque direto a defesa do Brasil, o que resulta num atentado contra nossa Soberania Nacional.

Análise Crítica:

O mês de maio confirma cada vez mais que estamos diante de um governo profundamente ideológico na visão ultra liberal, que visa o fim do Estado enquanto instituição independente e fermentadora de direitos e soberania.

Contudo observa-se do mesmo modo que o governo se sustenta em chavões e em discussões comportamentais para desviar a atenção do desmonte do Estado, um governo desprovido de qualquer projeto serio para o país.

Paralelo as confusões do governo, em sua completa falta de harmonia e articulação, o desemprego aumenta e a economia de atrofia, gerando um barril de pólvora social que pode explodir a qualquer momento.

O ataque a educação promovida pelo governo neste mês configura um crime contra a autonomia Universitária, como também uma violência a produção cientifica Brasileira que é um dos elementos fundamentais para a configuração de nossa independência e soberania.

Os avanços preparatórios para as privatizações é também fator de profunda preocupação para as forças progressistas, pois está em curso o aniquilamento completo do que restou de nossa industrialização e formento do desenvolvimento, como é o caso da Petrobras.

Concretizado, porém, a entrega criminosa da Embraer aos americanos da Boeing, que revela a contradição do clichê patriótico do governo, mas que entrega a defesa e a tecnologia da nação a grupos internacionais.

Cabe a nós a resistência, bem como a articulação com o congresso e a sociedade civil para salvarmos o Brasil desse governo entreguista de lesa-pátria.

Manoel Dias
Presidente da Fundação Leonel Brizola- Alberto Pasqualini
Secretário-Geral do PDT

Voltar para apresentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *